6.2.17


O BEIJO ERRADO

- E então? - ele perguntou, muito tímido, muito sem força, muito sem graça.
Muito nada... apenas ele.
Ela apenas sorriu. E sorriu o seu sorriso mais fraco.
Amarelo.
Desagradável.
Constrangedor.
- Não? - ele insistiu. Um tolo. Muito tímido, muito sem graça. Muito nada... apenas ele.
Ela sorriu antes de emendar - Olha, acho que um beijo não significa muito. Não significa tudo. Não significa nada.
Ele ficou em silêncio.
Otário.
- Entende? - ela perguntou.
Ele concordou com a cabeça e nada disse em troca.
- Veja - ela prosseguiu - Um beijo é um beijo. Eu podia ter bebido, podia ter fumado, cheirado, sei lá. Podia apenas estar com vontade. Mas nada demais, certo? - tentou consertar.
Ele sorriu e disse - Foda-se. Apenas isso. Foda-se.
Ela o olhou com surpresa e indignação - Como assim? - disse.
- Foda-se - ele repetiu e prosseguiu - Apenas isso. Foda-se - disse antes de se virar e ir embora. Forever.
E um beijo mal dado, mal explicado, mal colocado, mal situado, transforma uma amizade em algo rude, ruim, tosco, errado.
Apenas isso.
Um beijo errado...Muito errado...
Muito errado.

Nenhum comentário: