24.2.14


SONHOS DE UMA MADRUGADA MOLHADA DE VERÃO


- Sonha comigo? – ele pediu quase tolo, quase infantil.

- O quê? – ela respondeu – Pirou? O calor derreteu o pouco que resta do seu cérebro pequeno? – disse irônica.

- Sonha comigo? Sonha? – ele pediu.

- Como assim “sonha comigo”? Você acha que eu escolho os devaneios que tenho durante a madrugada? Acha que consigo selecionar com o que vou sonhar? – ironizou.

- Talvez. Se você quiser muito, pode até conseguir. Quem sabe?

Ela sorriu e fez um carinho fofo em seus cabelos curtos. Admirou seus olhos verdes e apenas sorriu.

- Por favor? – ele insistiu – Você me disse que sonhou comigo outra noite. Porra, quem sabe consegue repetir a façanha. Vou ficar muito feliz. Muito mesmo.

- Você é um idiota de verdade – ela disse com carinho.

- Mas não basta sonhar. Tem que me contar os detalhes depois – ele afirmou como um babaca apaixonado.

- Vou tentar. Prometo que vou tentar. Antes de tomar o meu Lexotan e dormir como um anjo, vou mentalizar muito para ter um sonho contigo. Muito mesmo.

Ele sorriu e concordou com a cabeça.

- Deus, ela é linda – ele pensou sem nada dizer.

- Deus, ele é lindo – ela pensou sem nada dizer.

- Estou molhada – ela disse rápida.

- Porra, já começou o seu sonho? – ele brincou.

Ela olhou para ele com asco e disse – Escroto. Está vendo a porra do calor. Estou suada seu imbecil – disse fingindo indignação.

- Ah... – ele respondeu – Entendi.

- Babaca – ela disse.

- Linda – ele respondeu.

E o sonho? Bem, só a noite vai dizer o que virá pela frente. Só a noite, a lua, Mr. Sandman,  o Lexotan, o vinho, as canções e os desejos de amor... apenas isso...

 



2 comentários:

Lorene disse...

Um de meus preferidos. Amo. Demais.

;)

Lorene disse...

Um de meus preferidos. Amo. Demais.

;)