26.2.14


MEDO


Ele tinha medo dela. Muito medo. Na verdade, ele tinha medo, porém não medo dela propriamente dita. Ele tinha medo dele mesmo. Medo de fazer as mesmas besteiras que fez no passado, medo de cometer os mesmos erros que cometeu no passado, medo de ela perceber o quão babaca ele era, medo de ela realmente perceber o que ele era. Um idiota. Um verdadeiro idiota e um estúpido sem autoestima. Um bobo inseguro. Ele tinha medo dela percebê-lo. Medo de falar com ela. Medo de ela perceber, no seu tom de voz, a sua insegurança. Medo de ela perceber, no seu tom de voz, sua falta de coragem. Ele tinha medo de falar com ela. Deus, ele era mais velho. Como uma menina, tâo mais jovem, tão menos vivida, porém não menos experiente, podia desorientá-lo assim? Ele não sabia. Apenas ficava ainda mais inseguro. Sentia apenas medo. Muito medo. E o suor frio, sempre, escorria da sua testa durante as madrugadas quentes de verão. Imbecil insone. Imbecil ínsone...  

Nenhum comentário: