11.2.14



JURASSIC PARK


- Mas você é mais nova, né? Mais de dez anos a menos do que eu – ele disse, todo receoso, todo “cheio de dedos” e evitando fitar de forma direta os seus lindos olhos verdes.

Medroso do caralho.

Ela suspirou e deu uma tragada forte no seu Marlboro (hábito de velho – ele pensou). Ela tomou um gole do seu Jack Daniels (bebida de velho – ele pensou) e apenas olhou para cima, como se pedisse força e paciência aos céus.

- Não que eu seja babaca ou preconceituoso ou não acredite no amor ou coisa parecida – ele disse desculpando-se – Até já gostei muito de mulheres mais novas – completou.

- Não? Não é babaca? – ela perguntou, sem o menor saco.

Ele o encarou com muito carinho e respondeu certo e seguro – Não. Não sou. Apenas talvez eu não seja a pessoa certa para você. Ao menos creio eu. Não quero te deixar triste.

- Você é meio idiota para sua idade, sabia? – ela disse – Honre a porra destes fios brancos na sua barba. Assuma o que quer.

Ele ficou inseguro.

Ela ficou puta.

- Mas... – ele tentou dizer, porém foi bruscamente interrompido por ela - Mas o quê? Mas o quê? Deixa de ser otário. Não estou dizendo para ficarmos juntos? Preciso falar mais?

Ele abaixou a cabeça e disse impreciso – Sabe. Nunca gostei de bandas velhas, de canções antigas. Sempre achei que no máximo três ou quatro anos e uns dois álbuns fossem suficientes. Jamais achei que poderia sofrer na prática e na minha vida com esta teoria absurda de descarte. Nunca.

Ela sorrriu e disse feliz e simpática – Bem, eu prefiro as bandas mais experientes. Os acordes soam melhores. A emoção é maior. Você não é descartável. Longe disso. É um imbecil, mas jamais descartável.

- Te amo – ele disse.

- Também. Babaca! – ela respondeu.

E todos nós ficamos velhos, nâo?

O amor que faça o mesmo, mas conserve seu frescor e delícia. Sempre.

 



 

Um comentário:

emdorfina disse...

=DDD

Nossa, como eu gosto desse...