17.2.14



JASMIM E UM SOFÁ VERMELHO

Ela era puro jasmim. Puro jasmim. Seu sexo exalava jasmim. Seu quadril tinha este aroma. Doce, lindo, delicado. Ele adorava. Adorava estar perto dos seus quadris e do seu cheiro de jasmim.
 
- Você faz o que da vida mesmo? – ele perguntou como se já não soubesse.
- Escrevo e faço outras coisas. Não te interessa, suponho – ela respondeu – Advogados escrotos não se preocupam com isto.
- Hmmm, escritora? Elitista, não? – ele zombou – Num país como o nosso você é “escritora”. Legal. O banco deve adorar seu lado social e seu limite de crédito.
Ela mostrou a ele o dedo médio enquanto tragava seu Marlboro e dava, depois, um gole da sua vodka.
Ele sorriu. Nada disse.
- Elitista o cacete – ela finalmente respondeu enquanto a vodka ainda descia ao estômago e aquecia o seu coração. Faço outras coisas. Sociais, inclusive. Nada que lhe diz respeito. Ajudar pessoas. Coisas que você desconhece.
Ele sorriu e continuou trolando – Ah, social. Sei. Escritora e gosta e ajuda pessoas. Ajuda o próximo. Você deve ser muito mala sabia? – brincou – Tipo de pessoa que não existe. Não existe mais.
- Quem sabe? Tem quem goste imbecil – respondeu – tem muita gente que gosta.
- Perdendo a linha senhorita? – ele zombou.
- Você me irrita. Provoca demais e faz de menos – ela disse – Você merece pastar.
- Você parece gostar de provocações. Parece sim – brincou.
- Vá se foder – ela disse.
- Vamos? – ele respondeu – Agora?
 
A noite? Bem, a noite como começou no Clube Varsóvia, cheia de provocações, vodkas, Marlboros e provocações, terminou em um sofá vermelho, na casa dela, com muito soul dos anos sessenta no aparelho de som e muito sexo, mas muito sexo e paixão e aroma de jasmim.
Tudo em cima de um sofá vermelho.

Jasmim? Bem, ele amava o perfume de jasmim que exalava dos quadris daquela pequena moça. Simplesmente amava...



2 comentários:

Lô disse...

Aaahhhhh.... que sofá é esse???!!!!! =)))

Lorraine disse...

Muito parado isso aqui, senhor escritor....!!!! =)