8.12.04

GIMME DANGER – GIMME PLEASURE – GIMME LIFE

Ela dançava e dançava e dançava. Sem parar. Como se o mundo fosse explodir e somente as lendas sobrevivessem ao caos.

E, no meio da pista, tudo o que ela mais queria era ser uma lenda. Sobrevivente do caos. Uma estória de fogo, sangue, sêmem, gozo, batom, rímel, tequila, noite, vampiros, lua, cigarros e canções de amor, canções de horror.

E ela dançava e dançava e dançava. Puro desejo. Teenage kicks. Cada passo uma despedida, uma dança solitária de amor e morte e noite. O seu habitat. O seu lugar. O seu mundo. O seu cenário.

- Você é linda – ele disse, tentando interrompê-la, apenas para fazer parte do seu transe insano e adorável.
Ela o olhou e disfarçou um sorriso, sem nada dizer.
- Posso insistir? Você é linda – ele disse, oferecendo um Marlboro e começando a dançar ao lado dela.
Ela pegou o cigarro com seus dedos finos e suaves, habituados a tantos ensaios inacabados de piano e agradeceu, meio tímida, meio sexy – Obrigado, mas não precisa mentir.
Ele sorriu – Mentir sobre?
- Minha beleza – ela respondeu.
- Mas você é linda mesmo. Nunca percebeu? – ele perguntou, cínico.
Sem parar de dançar, ela argumentou - Às vezes, me sinto como uma espécie de vampiro, sabe? Não me vejo no reflexo do espelho. Ela ficou em silêncio e completou - Na verdade, não quero me ver.
Ele sorriu e balançou a cabeça, discordando totalmente dela – Não, de forma alguma, pode acreditar em mim. Pode acreditar. Você não sabe o que está perdendo.
- Escolha uma canção – ela pediu, rápida.
- Gimme Danger – ele respondeu direto, sem pensar.
- Uau – ela gritou – Uma das minhas favoritas. Lê pensamentos?
- Sua camiseta – ele disse – Só isso.
Ela gargalhou da sua própria pergunta, enquanto lembrava da camiseta preta que vestia, com a estampa nua do Iggy Pop sob os dizeres Gimme Danger / Little Stranger.
- Eu também adoro prazeres com desconhecidos – arriscou.
- Quer tentar me transformar numa conhecida sua? Temos até o amanhecer para isso.
- Prefiro mais tempo. Que tal até a primavera? – sugeriu.
Ela sorriu feliz, dançando para ele uma de suas danças mais noturnas, mais sensuais. Uma dança de início. Início de lendas e estórias...


Nenhum comentário: