15.10.04

ANA, ALICE E A CHUVA

- Vai chover – Alice disse, olhando para o céu cinza e frio.
- Tem razão – respondeu Ana – Está muito cinza hoje.
- É bom. Faz tanto tempo que não chove, não? E a minha avó sempre dizia que a água da chuva é a melhor para limpar os cantos sujos da casa e da vida.
Ana sorriu, confortável com o comentário familiar de Alice, feliz por tê-la por perto, sua melhor amiga de tantos anos, de tantas drogas, de tantas viagens, porradas, amores perdidos, enfim, de tudo o que apenas um melhor amigo pode ser, ver, sentir – Mas pelo menos a chuva pode esperar chegarmos em casa, não? É uma boa caminhada desta praia até lá.
- Ah, Ana, deixa disso, e desde quando você derrete com a chuva? Que se foda. Vai ser até bom. O dilúvio vai ajudar os pecadores e, principalmente, evaporar essa pinga da minha cabeça – gargalhou.
- Vamos, então? – insistiu Ana.
Saltando com rapidez da areia quase gelada, Alice concordou – Vamos, vamos, mas me deixa ir fumando – pediu.
- Você e esta merda dos seus cigarros – reclamou Ana, enquanto abria a bolsa de praia e pegava um Marlboro para a amiga - Você devia parar com isso, sabe? Seria bom. Bem bom.
- Não começa Ana, please. Este papo de novo, não. Não hoje. Quando der eu paro de fumar. Quando der.
- E isso nunca vai acontecer, né? Quer dizer, pelo menos nos próximos vinte ou trinta anos. Mas, relaxa, ainda assim eu gosto de você – amenizou Ana, enquanto abraçava a amiga – E me diz uma coisa – aproveitou – Você vai ligar para ele? – perguntou, com receio.
Alice fez que não entendeu, irônica – Ele quem?
- O Edu.
- Edu? Edu? Edu? – repetiu, tentando parecer engraçada – Não me lembro de nenhum Edu.
- Tá bem, tá bem. Depois, quando você quiser, falamos a respeito. Não precisa ser agora.
- Pode não ser nunca, Ana? – pediu, triste, Alice.

Ana ficou quieta e deu um abraço mais do que carinhoso em Alice.

Pensou que a chuva podia começar a desabar naquele exato momento.

Assim as lágrimas da sua melhor amiga neste mundo, ficariam escondidas...apenas escondidas...


Nenhum comentário: