12.1.04

ALVOS CERTOS

- Parabéns – ela disse.
- Posso saber o motivo da ironia? – ele perguntou, irritado.
- Você acertou em cheio o alvo – ela disparou.
Ele a encarou em silêncio
- Podia ter deixado menos estilhaçada.
- Não tenho culpa se você me amou tanto – ele se defendeu, covarde.
- Nunca se tem, não é mesmo? Nunca se tem.

Nenhum comentário: