29.7.03



QUANDO O SILÊNCIO É MAIS DEVASTADOR DO QUE UMA PORRADA

- Pára de me magoar, porra! - ela pediu, aflita e chorando.
- Você sabe que isso é impossível - ele respondeu, com desprezo e continuou - A não ser que eu faça uma coisa.
- O quê? - ela insistiu, com os olhos borrados de tantas lágrimas.
- Saia daqui em silêncio. Sem te dizer porra nenhuma.

Ela nada disse...socou a parede e desejou que o tempo voltasse. Apenas para tentar aprender a não errar.

Nenhum comentário: