26.3.03



Por motivos totalmente alheios, precisei lembrar de uma coisa que escrevi há tempos atrás...muito tempo, aliás, mas que, espero, tenha sido útil hoje, de alguma forma...


FEEDBACK SONG...

Teve uma vez que eu perguntei para minha avó, pouco antes de ela morrer, o que era a morte. Ela me disse, toda sorridente, mesmo com o câncer já avançado, que morrer, mas morrer MESMO, era ter passado por aqui sem ter deixado nada. Sem ter deixado amigos, sem ter deixado alguém que se importasse realmente com você, sem ter deixado palavras doces, sem ter deixado um sorriso, sem ter deixado algum quadro pintado, alguma canção composta, algum conto escrito, sem ter deixado algum coração saudoso, sem ter deixado algum coração partido, sem ter tido uma grande paixão, sem ter sido feliz e, de alguma forma, ter feito os outros felizes também. Morrer era isso. Ir embora sem deixar nada. Nada. Eu retruquei, confuso e com um brilho nos olhos, dizendo que então ela não morreria, pois havia feito, com certeza, todas essas coisas. Ela apenas sorriu e me disse calma como sempre e com um sorriso inesquecível "E com esse brilho nos seus olhos, quem disse que eu vou morrer?"



Nenhum comentário: